Acessibilidade Aumentar Fonte Contraste

PROGRAMA VISA RECUPERAÇÃO DE CAMPOS DE VÁRZEA

Foi aprovado nesta terça-feira (9/10) o PL 113/2018, de autoria do vereador Juninho Eroso (PP), que prevê parcerias privadas para a revitalização e preservação dos campos de futebol de várzea

O plenário da Câmara Municipal de Guarujá aprovou nesta terça-feira (9/10) o Projeto de Lei 113/2018, de autoria do vereador Juninho Eroso (PP), que sugere a criação de programa específico, voltado à revitalização e preservação dos campos de futebol de várzea presentes na Cidade que tenham valor histórico/cultural. 
 
A proposta, que tem caráter autorizativo - ou seja, faculta ao Poder Executivo a sua adoção, ou não - prevê ações de melhorias nesses locais, que poderão ser realizadas através de parcerias público-privadas. O gerenciamento ficaria a cargo da Prefeitura e a fiscalização, por sua vez,  a cargo de uma comissão gestora formada por membros do Executivo, Legislativo e representantes dos clubes de futebol amador.
 
Ainda conforme o projeto, os recursos viabilizados seriam destinados à instalação de alambrados, grama sintética, iluminação, vestiários e espaços de lazer. Dessa forma, segundo o autor da propositura, seria garantida a preservação da cultura e dos espaços de socialização que ainda restam na cidade, para que os munícipes possam praticar esportes sem custos.
 
“As parcerias servirão para assegurar a infraestrutura pública nessas áreas de altíssima relevância social. Os jovens terão um lugar de lazer, diminuindo a tendência atual de se dirigirem a atividades marginais ou a entrega à vícios”, destaca Juninho Eroso.
 
Ele lembra que a Baixada Santista conta com uma forte história no futebol de várzea. Prova disso é a grande quantidade de times amadores de relevância atual. Um caso emblemático é o Itapema Futebol Clube, fundado há mais de 100 anos e campeão de diversos torneios regionais.
  
TRÂMITE
Com a aprovação dos vereadores, o projeto seguirá agora para análise do prefeito Válter Suman (PSB), a quem caberá sancioná-lo ou vetá-lo. Se sancionado, torna-se lei e entra em vigor a partir da data de publicação no Diário Oficial do Município (DOM).
 
Para ter acesso ao conteúdo completo, acesse:
 
 
 
Texto: Heitor Santana, repórter universitário


Publicado em: 09 de outubro de 2018

Publicado por: ASSESSORIA